NL ODONTOLOGIA

NL ODONTOLOGIA
DR. NELSON LIMA

segunda-feira, 4 de março de 2019

PARABÉNS PRA MIM! 😊




É com imenso prazer que venho aqui agradecer por mais um ano de vida. A Deus minha gratidão por 35 anos de lutas e vitórias, pois Ele tem me sustentado e me dado forças para seguir a árdua batalha da vida. Aos amigos que, direta ou indiretamente, contribuem para que eu me mantenha de pé, mesmo em meio a tantas tempestades enfrentadas. 

Sou feliz por ter minha família sempre ao meu lado. Suportando o fardo, mas jamais desistindo de lutar.

Hoje, 4 de março de 2019, chego ao "mid season" (meio da temporada) da vida balzaquiana, ou seja, 35 anos muito bem vividos.

Obrigado a todos! 

Deus recompense a todos!

Obrigado Meu Deus por mais um ano de vida!

sábado, 9 de fevereiro de 2019

GUAMARÉ: ALUGUEL DE 7 MIL REAIS NA ZONA RURAL



Em Guamaré, um aluguel na Zona Rural custa R$ 7.000,00, muito mais caro do que aluguel em Natal, no Bairro de Candelaria, de uma Igreja que tem mais mil membros. 

Ainda há, uma intriga maior, pois recentemente, este contrato de aluguel passou por um aditivo, o que fez seu período se estender por mais um ano, e reajustado em mais 40%.

Mas, "transparência e eficiência" só se encontra em Guamaré, que ao todo, mensalmente, gasta quase 300 mil reais com aluguéis, em torno de 3,5 milhões por ano. Com estes valores, a prefeitura poderia construir cerca de 35 prédios de 10m por 20m em qualquer localização do município, fato este que atenderia toda a demanda rapidamente. 

Não há a menor avaliação da utilidade, tampouco há motivação para tantos aluguéis pelo executivo municipal.

Agora, qual o interesse da prefeitura em alugar, aditivar, e ampliar os contratos de aluguel, se poderia muito bem construir prédios próprios para o município?

Alugaram uma fazenda de 100 h?

Qual é a dificuldade de ser honesto com o cidadão?

Oremos!

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

GUAMARÉ: DEDÉ CÂMARA CONDENADO A RESSARCIR O ERÁRIO PÚBLICO

Justiça condena o ex-prefeito José Câmara, “Dedé Câmara”, a devolver 15 vezes do salário de prefeito à época (2008), perda dos direitos políticos por 5 anos, e impossibilidade de contratação com a Administração Pública, direta ou indireta, por 3 anos. 

A decisão está apensa ao processo 0101462-90.2013.8.20.0105, que versa sobre ação civil de improbidade administrativa. Segundo o Ministério Público, Dedé, à época prefeito da cidade de Guamaré, utilizou a máquina administrativa do município para fins eleitoreiros, mediante a contratação de mais 600 (seiscentos) servidores na segunda quinzena do mês de jul/08, acarretando um acréscimo na folha de pagamento de quase 50% (cinquenta por cento).

Veja a sentença:

















O processo já transitou em julgado, porém o processo 0101466-30.2013.8.20.0105, que tem caráter criminal, segue seu curso normal, fato este, que pode a qualquer instante desencadear a condenação de Dedé Câmara, levando-o à prisão, caso assim seja determinado.

Guamaré permanece sendo envergonhada!

Oremos!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

GUAMARÉ: CONJUNTOS SEM ENERGIA

Guamaré parece que parou no tempo, e seus moradores terão que usar velas e/ou lampiões para iluminar suas casas nessa noite. 

A COSERN realizou o corte do fornecimento de energia nos Conjuntos Paulo Bento e Raimundo Avelino, deixando diversas família sem energia. Ora, um dilema já previsto, pois a prefeitura entregou as casas de forma dissoluta, sem que a mínima infraestrutura estivesse disponível, como também, em nenhum momento se mobilizou para solucionar as demandas dos moradores.

Não faz muito tempo, Mário de Lucila fez diversas denúncias sobre a calamidade que as famílias vivem naquele conjunto. "Marujo", como é mais conhecido, tem realizado esforços para apresentar a verdade nua e crua do município, verdade esta, por diversas vezes, omitida pelo poder público. 

Neste ínterim, a Vereadora Diva Araújo tem mostrado muita indignação com a situação do moradores, tanto que vem sendo solidária ao Marujo, que vem sofrendo diversos ataques nos últimos dias. A vereadora, que passou cerca de 40 dias como prefeita interina, tem sob seus cuidados diversas informações sobre essas casas, como também sobre a ETE (Estação de Tratamento de Esgotos), que trariam sérios problemas ao grupo político da atual gestão, haja vista, os Ministérios Públicos, Estadual e Federal, já estarem cientes de todas as informações. 

Diva tem se colocado à disposição dos moradores para eventuais emergências, assim também, ela está reinvidicando ao prefeito que, o mais rapido possível, resolva tal problema. Inclusive, já tendo solicitado que a Prefeitura realize as mudanças necessárias dentro das normas estabelecidas pela COSERN para normalização da prestação do serviço. 

Por que há tanta omissão em ajudar os munícipes, se a propaganda era de uma gestão perfeita?

Tá faltando dinheiro ou gestão em Guamaré?

Oremos!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

GUAMARÉ: BLOGUEIROS OU SEMEADORES DE FAKE NEWS?

FOTO: UOL NOTÍCIAS 


Em Guamaré, os blogueiros assalariados pela prefeitura adoram espalhar mensagens falsas e, até mesmo, colocar discordia onde não exite. Eles, agora, querem semear contenda na oposição, quando, de forma sorrateira, incluem membros da oposição em situações constrangedoras e absurdas, ligando-os ao grupo mdebista. 

O mais incrivel é a imaginação fértil ou ignóbil – melhor assim -, que estes escreventes têm. Pior ainda, eles são capazes de alimentar mentiras em mentes menos favorecidas e incautas, provocando, em cadeia, uma série de falácias, deixando o povo que acessam suas páginas, a cada dia, muito mais ignorantes e desprovidos da verdade.

Estes blogueiros, ou melhor, escreventes, ao invés de buscar melhorar suas escritas, e assim, propoprcionar um texto mais qualificado aos seus leitores, estão a se especializar em propagar as famosas notícias falsas, ou seja, as FAKE NEWS.

Ao que parece a leitura está em escassez entre os tais, pois bem colocava Monteiro Lobato: “QUEM MAL LÊ, MAL FALA, MAL OUVE, E MAL VÊ!”. Quem labuta com a informação não pode ficar estático no tempo, outrossim, carece de sair da zona de conforto e procurar levar aos seus leitores algo mais saudável e mais inteligente. 

SE FAZ PERTINENTE COLOCAR AS IMPLICAÇÕES LEGAIS DE QUEM PROPAGA FAKE NEWS

Embora a divulgação de fake news possa ocorrer em qualquer meio de comunicação, sua principal (e mais rápida) forma de disseminação acontece na internet. Redes sociais e aplicativos de mensagem como o WhatsApp, são as principais fontes de notícias falsas, principalmente pela facilidade em compartilhar informações nessas plataformas.

Atualmente no Brasil não há uma legislação específica sobre a divulgação das fake news. Entretanto, esta lacuna da lei não impede uma eventual responsabilização daqueles que produzam ou repassem essas falsas notícias, ainda mais quando elas são direcionadas a uma pessoa ou grupo específico, com o objetivo de prejudicar sua imagem.

Quem se considerar vítima do conteúdo de uma fake news deve procurar auxílio com um advogado de sua confiança e buscar as medidas judiciais cabíveis para responsabilizar o criador ou divulgador da matéria. Seja na esfera cível, por meio de uma indenização reparatória, ou na esfera criminal, que pode levar a uma condenação quando praticados, por exemplo, os crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação).

Cabe lembrar que a Lei nº 12.965, de 2014, conhecida como Marco Civil da Internet, estabelece diretrizes, garantias, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil. A aprovação da lei viabiliza o amparo judicial para reduzir a propagação desenfreada das fake news. Além disso, os provedores de internet e locais de hospedagem ficam autorizados a remover conteúdos quando comprovado que a matéria publicada seja inverídica ou alterada da realidade dos fatos.

Considerando o momento de eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a partir da legislação citada, manteve-se bastante atento às denúncias sobre divulgação de fake news relacionadas aos planos e propostas dos candidatos. Durante o primeiro turno, por exemplo, o tribunal determinou que fossem retiradas de circulação notícias que eram consideradas inverídicas ou que não apresentavam uma fonte confiável para suas alegações, já que podiam induzir os eleitores ao erro em sua escolha política.

FONTE: BLOG DA AURUM

Postagens mais visitadas